Transtorno de Pesadelos: Causas, Sintomas e Tratamento

Sonhar é um dos aspectos mais complexos e misteriosos do sono. Embora os sonhos possam incluir visões de grandeza e felicidade, eles também podem ser assustadores, ameaçadores ou estressantes. Saber as diferenças entre sonhos ruins, pesadelos e transtorno de pesadelos é o primeiro passo para abordar as causas dos pesadelos, iniciar o tratamento apropriado e dormir melhor.

Quando um sonho faz você acordar, é conhecido como pesadelo. É normal ter pesadelos ocasionalmente, mas para algumas pessoas, eles se repetem com frequência, interrompendo o sono e afetando negativamente sua vida também.

Transtorno de Pesadelos: causas, sintomas e tratamentos

O que são pesadelos?

Para a medicina do sono, os pesadelos têm uma definição mais restrita do que na vida cotidiana. Essa definição ajuda a distinguir pesadelos de maus sonhos: embora ambos envolvam um conteúdo perturbador de sonho, apenas um pesadelo faz com que você desperte do sono.

Pesadelos são sonhos vívidos que podem ser ameaçadores, perturbadores, bizarros ou incômodos. Eles ocorrem com mais freqüência durante o sono REM (movimento rápido dos olhos), o estágio do sono associado aos sonhos intensos. Os pesadelos surgem com mais frequência na segunda metade da noite, quando mais tempo é gasto no sono REM.

Ao acordar de um pesadelo, é normal estar totalmente ciente do que aconteceu no sonho, e muitas pessoas se sentem chateadas ou ansiosas. Sintomas físicos, como alterações na frequência cardíaca ou suor, também podem ser detectados após o despertar.

O que é o transtorno de pesadelos?

Embora a maioria das pessoas tenha pesadelos de vez em quando, o transtorno de pesadelos ocorre quando uma pessoa tem pesadelos frequentes que interferem em seu sono, humor e/ou funcionamento diurno. É um distúrbio do sono conhecido como parassonia. As parassonias incluem vários tipos de comportamentos anormais durante o sono.

Pessoas que têm pesadelos ocasionais não têm transtorno de pesadelo. Em vez disso, o distúrbio de pesadelos envolve casos recorrentes que trazem bastante angústia na sua vida diária.

Pesadelos são normais?

É normal que crianças e adultos tenham pesadelos ou maus sonhos de vez em quando. Por exemplo, um estudo descobriu que 47% dos estudantes universitários tiveram pelo menos um pesadelo nas últimas duas semanas.

O transtorno de pesadelo, entretanto, é muito menos comum. Estudos de pesquisa estimam que cerca de 2 a 8% dos adultos têm problemas com pesadelos.

Pesadelos frequentes são mais comuns em crianças do que em adultos. Os pesadelos em crianças são mais prevalentes entre as idades de três e seis anos e tendem a ocorrer com menos frequência à medida que as crianças crescem. Em alguns casos, porém, os pesadelos persistem na adolescência e na idade adulta.

Pesadelos afetam homens e mulheres, embora as mulheres geralmente sejam mais propensas a relatar ter pesadelos, especialmente durante a adolescência até a meia-idade.

Por que temos pesadelos?

Não há uma explicação consensual para o motivo de ter pesadelos. Na verdade, há um debate contínuo na medicina do sono e na neurociência sobre por que sonhamos. Muitos especialistas acreditam que sonhar faz parte dos métodos da mente para processar emoções e consolidar a memória. Sonhos ruins, então, podem ser um componente da resposta emocional ao medo e ao trauma, mas mais pesquisas são necessárias para explicar definitivamente por que os pesadelos ocorrem.

Recomendado:  Síndrome das Pernas Inquietas: Causas, Sintomas e Tratamento

Como os pesadelos são diferentes dos terrores noturnos?

Terrores noturnos, às vezes chamados de pânico noturno, são outro tipo de parassonia em que a pessoa que dorme parece agitada e assustada durante o sono. Pesadelos e terrores noturnos têm várias características distintivas:

Pesadelos acontecem durante o sono REM, enquanto terrores noturnos acontecem durante o sono não-REM (NREM).

Terrores noturnos não envolvem um despertar completo; em vez disso, a pessoa permanece principalmente adormecida e difícil de despertar. Se acordados, eles provavelmente ficarão desorientados.

Em contraste, quando uma pessoa acorda de um pesadelo, ela tende a estar alerta e ciente do que estava acontecendo em seu sonho.

No dia seguinte, uma pessoa com pesadelos geralmente tem uma memória clara do sonho. Pessoas com terror noturno muito raramente têm consciência do episódio.

Os pesadelos são mais comuns na segunda metade da noite, enquanto os terrores noturnos acontecem com mais frequência na primeira metade.

O que causa pesadelos?

Muitos fatores diferentes podem contribuir para um maior risco de pesadelos:

  • Estresse e ansiedade: situações tristes, traumáticas ou preocupantes que induzem estresse e medo podem provocar pesadelos. Pessoas com estresse e ansiedade crônicos têm maior probabilidade de desenvolver o transtorno de pesadelo.
  • Condições de saúde mental: pesadelos são frequentemente relatados em taxas muito mais altas por pessoas com transtornos de saúde mental, como transtorno de estresse pós-traumático, depressão, transtorno de ansiedade geral, transtorno bipolar e esquizofrenia. Pessoas com algum destes problemas costumam ter pesadelos frequentes e intensos, nos quais revivem eventos traumáticos, agravando os sintomas e muitas vezes contribuindo para a insônia.
  • Certos medicamentos e drogas: o uso de alguns tipos de substâncias ilícitas ou medicamentos prescritos que afetam o sistema nervoso está associado a um risco maior de pesadelos. Alguns medicamentos suprimem o sono REM, portanto, quando uma pessoa para de tomá-los, ocorre um efeito rebote de curto prazo de mais sono REM acompanhado de mais pesadelos.
  • Privação de sono: após um período de sono insuficiente, uma pessoa freqüentemente experimenta um rebote REM, que pode desencadear sonhos e pesadelos vívidos.
  • Histórico pessoal de pesadelos: em adultos, um fator de risco para transtorno de pesadelo é uma história de pesadelos recorrentes durante a infância e a adolescência.
  • Genética: embora não seja totalmente compreendida, pode existir uma predisposição genética que torna mais provável que pesadelos frequentes ocorram em uma família. Essa associação pode ser motivada por fatores de risco genéticos para problemas de saúde mental que estão ligados a pesadelos.

Algumas evidências indicam que as pessoas que têm pesadelos podem ter alterado a arquitetura do sono, o que significa que progridem de forma anormal nos estágios do sono. Alguns estudos também encontraram correlação entre pesadelos e apneia obstrutiva do sono (AOS), um distúrbio respiratório que causa sono fragmentado, embora mais pesquisas sejam necessárias para esclarecer essa associação.

Os pesadelos estão ligados à vida real?

Pesadelos podem ter uma conexão clara com coisas que acontecem enquanto você está acordado. Pesadelos ligados à ansiedade e ao estresse, podem envolver flashbacks ou imagens que estão diretamente relacionadas a eventos traumáticos.

Recomendado:  Guia: Como Dormir Bem - 7 Dicas Práticas e Eficazes

No entanto, nem todos os pesadelos têm uma relação facilmente identificável com a vida real do sonhador. Pesadelos podem ter conteúdo bizarro ou desconcertante que é difícil de rastrear em quaisquer circunstâncias específicas na vida de uma pessoa.

Pesadelos podem afetar o sono?

Pesadelos, especialmente pesadelos recorrentes, podem ter um impacto significativo no sono de uma pessoa. Pessoas com transtorno de pesadelo têm maior probabilidade de sofrer reduções na quantidade e na qualidade do sono.

Problemas de sono podem ser induzidos por pesadelos de várias maneiras. Pessoas que têm interrupções noturnas por causa de pesadelos podem acordar ansiosas, tornando difícil relaxar a mente e voltar a dormir. O medo de pesadelos pode causar evitação do sono e menos tempo alocado para dormir.

Infelizmente, essas etapas podem piorar os pesadelos. Evitar dormir repetidamente pode causar privação de sono, o que pode provocar um aumento do sono REM com sonhos e pesadelos ainda mais intensos. Isso geralmente leva a uma maior evitação do sono, dando origem a um padrão de sono perturbado que culmina em insônia.

Os pesadelos podem exacerbar as condições de saúde mental que podem piorar o sono, e o sono insuficiente pode dar origem a sintomas mais pronunciados de doenças como depressão e ansiedade. Transtorno de pesadelos pode causar sonolência excessiva diurna, alterações de humor e piora da função cognitiva, todos os quais podem ter um impacto negativo substancial nas atividades diurnas e na qualidade de vida de uma pessoa.

Quando você deve consultar um médico sobre pesadelos?

Como é comum ter pesadelos ocasionais, algumas pessoas podem achar difícil saber quando os pesadelos são motivo de preocupação. Você deve conversar com seu médico sobre pesadelos se:

  • Pesadelos acontecem mais de uma vez por semana
  • Pesadelos afetam seu sono, humor e / ou atividades diárias
  • Os pesadelos começam ao mesmo tempo que você inicia uma nova medicação

Para ajudar seu médico a entender como os pesadelos estão afetando você, você pode manter um diário do sono que monitore seu sono total e as interrupções do sono, incluindo pesadelos.

Como o transtorno de pesadelos é tratado?

Os pesadelos raros normalmente não precisam de nenhum tratamento, mas tanto a psicoterapia quanto os medicamentos podem ajudar as pessoas que têm transtorno de pesadelo. Ao reduzir os pesadelos, os tratamentos podem promover um sono melhor e uma saúde geral.

O tratamento para pesadelos deve sempre ser supervisionado por um profissional de saúde que possa identificar a terapia mais adequada com base na saúde geral do paciente e na causa subjacente de seus pesadelos.

Psicoterapia

A psicoterapia, é uma categoria de tratamento que trabalha para compreender e reorientar o pensamento negativo. A psicoterapia tem amplas aplicações no tratamento de distúrbios de saúde mental e problemas do sono, como insônia.

Muitos tipos de psicoterapia estão sob a égide da terapia cognitivo-comportamental (TCC), incluindo uma forma especializada de TCC para insônia (TCC-I) que pode ser usada para tratar pesadelos. Um componente central da TCC é a reorientação de pensamentos e sentimentos negativos e a modificação de padrões de comportamento prejudiciais.

Existem vários tipos de psicoterapia e TCC que podem ajudar a reduzir pesadelos:

Recomendado:  Parassonia: Tipos, Causas, Sintomas & Tratamento

Terapia de ensaio de imagem: Esta abordagem envolve a reescrita de um pesadelo recorrente em um diário que é reescrito e, em seguida, ensaiado quando acordado, a fim de mudar como ele se desenrola e afeta quem dorme.

Terapia de sonho lúcido: Em um sonho lúcido, a pessoa está ativamente ciente de que está sonhando. A terapia com sonhos lúcidos aproveita essa ideia para dar a uma pessoa a capacidade de modificar positivamente o conteúdo de um pesadelo por meio de sua consciência no momento.

Terapias de dessensibilização: como muitos pesadelos são movidos por medos, várias abordagens utilizam a exposição controlada a esse medo para reduzir a reação emocional a ele. Exemplos dessas técnicas para “enfrentar seus medos” incluem terapia de autoexposição e dessensibilização sistemática.

Hipnose: esta abordagem cria um estado mental relaxado, semelhante a um transe, no qual uma pessoa pode ter pensamentos positivos mais facilmente para combater o estresse.

Relaxamento muscular profundo progressivo: Embora não seja uma forma direta de psicoterapia, o relaxamento muscular profundo progressivo é uma técnica para acalmar a mente e o corpo. Envolve respiração profunda e uma sequência de tensão e relaxamento nos músculos de todo o corpo. Métodos de relaxamento como esse são uma ferramenta desenvolvida na psicoterapia para neutralizar o acúmulo de estresse.

Como você pode ajudar a interromper pesadelos e dormir melhor?

Se você tem pesadelos que interferem em seu sono ou na vida diária, o primeiro passo é conversar com seu médico. Identificar e tratar uma causa subjacente pode ajudar a tornar os pesadelos menos frequentes e menos incômodos.

Quer os pesadelos sejam comuns ou ocasionais, você pode obter alívio melhorando a higiene do sono. Construir melhores hábitos de sono é um componente de muitas terapias para o transtorno de pesadelo e pode preparar o caminho para um sono de alta qualidade regularmente.

Existem muitos elementos de higiene do sono, mas alguns dos mais importantes, especialmente no contexto de pesadelos, incluem:

  • Seguir horário de sono consistente: Ter uma hora de dormir e uma programação de sono definidas ajuda a manter seu sono estável, evitando a evasão do sono e o rebote REM indutor de pesadelos após a privação de sono.
  • Utilizar métodos de relaxamento: Encontrar maneiras de relaxar, até mesmo respirar profundamente, pode ajudar a diminuir o estresse e a preocupação que dão origem aos pesadelos.
  • Evitar cafeína e álcool: a cafeína pode estimular sua mente, o que torna mais difícil relaxar e adormecer. Beber álcool perto da hora de dormir pode induzir um rebote REM na segunda metade da noite, o que pode piorar os pesadelos. Tanto quanto possível, é melhor evitar álcool e cafeína à noite.
  • Reduzir o tempo de tela antes de dormir: Usar um smartphone, tablet ou laptop antes de dormir pode aumentar sua atividade cerebral e dificultar o adormecimento. Se o tempo de tela envolver imagens negativas ou preocupantes, isso pode aumentar a probabilidade de pesadelos. Para evitar isso, crie uma rotina de hora de dormir sem tempo de tela por uma hora ou mais antes de ir dormir.
  • Criar um ambiente confortável para dormir: Seu quarto deve promover uma sensação de calma com o mínimo de distrações ou interrupções possíveis. Defina uma temperatura confortável, bloqueie o excesso de luz e som e arrume a cama e a roupa de cama de modo que sejam acolhedores e convidativos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *